← Mais simulados

Simulado: UFG - Arqueologia 2 - Arqueólogo - 2017

Ao Terminar de Resolver o Simulado, Clique em Corrigir para ver o Gabarito. Questões da Prova - UFG - Arqueologia 2 - Arqueólogo - 2017.

19 resolveram
29% acertos
Difícil
1 gabaritaram
1 ótimo
1 bom
16 regular
1 péssimo

Além dos artefatos, a Arqueologia estuda ecofatos e biofatos, que são:
A Arqueologia é:
De acordo com Fabíola Andréa Silva (2009),
As diferentes teorias da Arqueologia mostram que:
A faiança fina:
“Em vista do caráter destrutivo da pesquisa arqueológica, tudo que resta dos sítios escavados é a cultura material recolhida às instituições de pesquisa e a documentação produzida no seu transcurso, o que exige que se dispense a ambas o mesmo cuidado dispensado aos sítios.” (LIMA, 2007). Neste sentido, os bens arqueológicos recolhidos a museus estão submetidos a acautelamentos especiais porque
No que diz respeito à História e à Arqueologia do mundo antigo, pode-se afirmar o seguinte:
De acordo com Pedro Paulo de Abreu Funari (2003), as bases do surgimento da Arqueologia no Brasil estão ligadas
Vestígios arqueológicos de sociedades pré-coloniais americanas são encontrados:
As críticas ao processualismo deram-se
Segundo Alexandre Matos, no texto “Da escavação ao museu – caminhos da escavação”(2007), os trabalhos arqueológicos serão com certeza a maior fonte de ingresso de acervos nos museus portugueses, e raro é o caso de um museu que não disponha de uma coleção, por menor que seja, de Arqueologia, inclusive os museus municipais. Preocupado com isto, o autor apresenta reflexões e propostas para gestão da informação sobre coleções arqueológicas em museus, a saber:
A respeito da trajetória da normatização referente ao patrimônio arqueológico,
No Brasil, a relação entre a Arqueologia e os museus é marcada atualmente por:
Segundo Krzysztof Pomian (1988), os museus de Arqueologia tendem a adotar um dos dois seguintes modelos: museus arqueológico-artísticos, que ressaltam os aspectos estéticos e excepcionais dos objetos de suas coleções; museus arqueológicos-tecnológicos, que valorizam seus aspectos técnicos e funcionais. A aplicação destes modelos sugere que:
No que diz respeito ao papel do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), com referência ao patrimônio arqueológico, Alejandra Saladino (2014) aponta que:
Diego Lemos Ribeiro (2014) analisa alguns museus de Arqueologia no Brasil e afirma:
A Musealização da Arqueologia
Uma tentativa de síntese sobre a ocupação pré-colonial no Centro-Oeste brasileiro foi realizada em 1999-2000 por Jorge Eremites de Oliveira e Sibeli Aparecida Viana. Nessa síntese, os autores afirmam que:
A história da Arqueologia brasileira ensina que:
Carlos Costa e Fabiana Comerlato (2014), ao tratarem da questão do endosso institucional em projetos de Arqueologia, alertam que:

Resolva mais, deixe seu comentário e compartilhe!

Deixe seu comentário (0)

Seja o primeiro a comentar!