Prefeitura de Campos do Jordão SP - Nutrição - Técnico em Nutrição - 2016

Responda as 9 questões abaixo (Prefeitura de Campos do Jordão SP - Nutrição - Técnico em Nutrição - 2016). Ao terminar, clique no botão para ver sua nota e o gabarito. Boa prova!

9 questões Nutrição, Técnico em Nutrição, Prefeitura de Campos do Jordão SP, PROMUN, Médio

208 resolveram
44% média
Difícil
1 gabaritaram
5 Ótimo
78 Bom
101 Regular
24 Péssimo
Na Secretaria de Educação, o nutricionista é responsável pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), cujas ações são:

I Elaborar cardápios com refeições nutritivas e que respeite a diversidade da região.
II Atuar na educação alimentar e nutricional, por meio de palestras, dinâmicas ou debates.
III Efetuar o teste de aceitabilidade de um gênero alimentício, antes de introduzi-lo no cardápio escolar.
IV Capacitar os funcionários responsáveis pelo preparo da alimentação escolar sobre diversos temas como boas práticas de fabricação.
V Realizar acompanhamento nutricional dos escolares, a fim de verificar seu estado nutricional.

São de responsabilidade do nutricionista, no programa social PNAE, as ações:
O parâmetro que avalia a adequação da oferta de proteínas e o grau de hipercatabolismo na avaliação nutricional é:
Assinale a alternativa correta em relação aos procedimentos relativos ao armazenamento e transporte do alimento preparado:
 Uma das áreas de atuação do profissional nutricionista é a Vigilância Sanitária. Estão entre as atribuições do Nutricionista que atua na Vigilância Sanitária:

I Integrar comissões técnicas de regulamentação e procedimentos relativos a alimentos.
II Integrar a equipe de Vigilância Sanitária, cumprindo e fazendo cumprir legislação de Vigilância Sanitária.
III Promover programas de orientação alimentar.
IV Promover orientação sobre manipulação correta de alimentos.

Estão corretas as atribuições definidas em:
Leia com atenção as afirmativas abaixo e responda esta questão, assinalando entre as alternativas, a única que apresenta somente características da Educação Nutricional.

I Ênfase no processo de modificar e melhorar o hábito alimentar a médio e longo prazo.
II As mudanças necessárias ao controle de doenças, entre elas as relativas à alimentação, devem ser baseadas numa perspectiva de integração e de harmonização nos diversos níveis: físico, emocional e intelectual.
III Avaliação objetiva e subjetiva do paciente.
IV O objetivo do processo é estabelecido em função das prioridades impostas pelo paciente. 
V A doença e a consequente necessidade de mudança de hábito podem ser consideradas uma oportunidade de crescimento e desenvolvimento pessoal.
O controle qualitativo dos produtos alimentícios que serão utilizados em uma unidade de alimentação é uma etapa vital para a adequada e segura produção de refeições. O responsável pelo recebimento de alimentos deve:
A Organização Mundial de Saúde (OMS) estabelece algumas recomendações dietéticas que fundamentam as Diretrizes do Guia Alimentar para a população brasileira:

I Limitar o consumo de sal iodado e substitui-lo pelo sal sem iodo.
II Aumentar o consumo de frutas, legumes e verduras.
III Manter o equilíbrio energético e o peso saudável. * ,
IV Limitar o consumo de açúcares livres
V Limitar o consumo energético procedente das gorduras saturadas por insaturadas e eliminar as gorduras trans.

Dos itens elencados acima, constituem Diretrizes do Guia Alimentar da OMS, apenas:
A carência de vitamina A, de iodo, anemia ferropriva e a desnutrição energético-proteicas, de acordo com a Política Nacional de Alimentação e Nutrição (PNAN), são definidas como:
Em treinamento de Pessoal na área de Nutrição, temas de grande relevância, que devem ser tratados, são:

I Reaproveitamento de alimentos.
II Reeducação Alimentar.
III Alimentação Preventiva.
IV Equilíbrio Alimentar.
V Alimentação Preventiva, saúde e longevidade.

Dos item acima relacionados, devem ser trabalhados em treinamento de Pessoal na área de Nutrição: