Simulado Exercícios sobre Flexão Verbal de Pessoa (1ª, 2ª, 3ª pessoa) com Gabarito

Simulado com 10 Questões de Português (Flexão Verbal). Prova com Exercícios de Ensino Médio com Gabarito.

  • 33 Resolveram
  • 46% Acertos
  • 1 Gabaritaram
  • barra ótimo 3 Ótimo
  • barra qtd_bom 15 Bom
  • barra ruim14 Regular
  • barra péssimo1 Ruim

Para corrigir este simulado é preciso Cadastrar-se. É simples, rápido e grátis!

  • 1 - Questão 55078.   Português - Flexão Verbal - Nível Médio
  • Assinale o item em que há erro de conjugação verbal em relação à norma culta da língua.
  • 2 - Questão 55079.   Português - Flexão Verbal - Nível Médio
  • Marque a alternativa cuja flexão verbal esteja errada:
  • 3 - Questão 55080.   Português - Flexão Verbal - Nível Médio
  • Assinale a alternativa em que as formas verbais estão corretamente flexionadas.
  • 4 - Questão 55081.   Português - Flexão Verbal - Nível Médio
  • Texto 02:
    O menino que me olha

    (...) Não andamos muito elegantes, nestes tempos estranhos. Não andamos muito éticos, nestes tempos loucos. Não que as coisas tenham sido muito melhores no tempo dos gregos, quando na filosófica Atenas a mulher era pouco mais do que um animal sem alma, era normal ter escravos e a guerra era o pão nosso. Ou na Idade Média, quando eu seria no mínimo candidata à fogueira, não a da inveja, mas a concreta mesmo; nossos filhos teriam morrido nas Cruzadas matando alguém no Oriente (nada de novo na face da Terra). (...)

    Luft, Lya. O menino que me olha. Veja, São Paulo, Abril, 30 jun. 2004. Coluna Ponto de Vista, p.20

    O texto “O menino que me olha” está escrito em qual pessoa do discurso? Em qual tempo verbal? 
  • 5 - Questão 55082.   Português - Flexão Verbal - Nível Médio
  • Assinale a alternativa em que os verbos estão corretamente flexionados.
  • 6 - Questão 55083.   Português - Flexão Verbal - Nível Médio
  • SALTANDO AS MURALHAS DA EUROPA

    De um lado está a Europa da abundância econômica e da estabilidade política. De outro, além do Mediterrâneo, uma extensa faixa assolada pela pobreza e por violentos conflitos. O precário equilíbrio rompeu-se de uma vez com o agravamento da guerra civil na Síria. Da Síria, mas também do Iraque e do Afeganistão, puseram-se em marcha os refugiados. Atrás deles, ou junto com eles, marcham os migrantes econômicos da África e da Ásia. No maior fluxo migratório desde a Segunda Guerra Mundial, os desesperados e os deserdados saltam as muralhas da União Europeia.
    Muralhas? Em tempos normais, os portais da União Europeia estão abertos para os refugiados, mas fechados para os imigrantes. Não vivemos tempos normais. Os países da Europa Centro-Oriental, Hungria à frente, fazem eco à xenofobia da extrema-direita, levantando as pontes diante dos refugiados. Vergonhosamente, a Grã-Bretanha segue tal exemplo, ainda que com menos impudor.
    A Alemanha, seguida hesitantemente pela França, insiste num outro rumo, baseado na lógica demográfica e nos princípios humanitários. Angela Merkel explica a seus parceiros que a Europa precisa agir junta para passar num teste ainda mais difícil que o da crise do euro. “O futuro da União Europeia será moldado pelo que fizermos agora, alerta a primeira-ministra alemã.

    (Mundo, outubro 2015)

    “O futuro da União Europeia será moldado pelo que fizermos”; a forma inadequada da correspondência entre os tempos verbais sublinhados é:
  • 7 - Questão 55084.   Português - Flexão Verbal - Nível Médio
  • Atenção: Considere o texto abaixo para responder à questão.

    O termo serenidade costuma estar associado a mais de um significado, sendo que o primeiro deles tem a ver com a capacidade de lidar com docilidade e tolerância com as situações mais adversas. Muitas vezes perdemos a serenidade quando nos sentimos pressionados por expectativas que nós mesmos produzimos em relação aos nossos projetos; é preciso cautela para que nossos planos não se transformem em fontes de tensão. Os que fazem planos mais realistas sofrem menos e se aproximam mais da serenidade.
    A serenidade corresponde a um estado de espírito no qual nos encontramos razoavelmente em paz, conciliados com o que somos e temos, com nossa condição de humanos falíveis e mortais. É claro que isso depende de termos atingido uma razoável evolução emocional e mesmo moral: não convém nos compararmos com as outras pessoas, não é bom nos revoltarmos com o fato de não sermos exatamente como gostaríamos; conformados com nossas limitações, podemos usufruir das potencialidades que temos.
    O momento presente é sempre uma ficção: vivemos entre as lembranças do passado e a esperança de acontecimentos futuros que buscamos alcançar. A regra é que estejamos indo atrás de objetivos, perseguindo-os com mais ou menos determinação. A maior parte das pessoas sente-se mal quando está sem projetos, apenas usufruindo dos prazeres momentâneos que suas vidas oferecem. Somos pouco competentes para vivenciar o ócio. Essa condição emocional que os filósofos antigos consideravam como muito criativa é algo gerador de um estado de alma que chamamos de tédio.
    De certa forma, fazemos tudo o que fazemos a fim de fugir do ócio e do tédio que o acompanha. Mesmo nos períodos de férias temos que nos ocupar. Por outro lado, perseguir objetivos com obstinação e aflição de alcançá-los o quanto antes também subtrai a serenidade. Assim, perdemos a serenidade quando andamos muito devagar, perto da condição do ócio − que traz o tédio e a depressão −, e também quando nos tornamos angustiados pela pressa de atingirmos nossas metas. Mais uma vez, a sabedoria, a virtude, está no meio, naquilo que Aristóteles chamava de temperança: cada um de nós parece ter uma velocidade ideal, de modo que, se andar abaixo dela, tenderá a se deprimir, ao passo que, se andar acima dela, tenderá a ficar ansioso. Interessa pouco comparar nossa velocidade com a dos outros, visto que só estaremos bem quando estivermos em nosso ritmo, qualquer que seja ele.

    (Adaptado de Flávio Gikovate. Disponível em: flaviogikovate.com.br. Acesso em: 23/10/15)

    ... é preciso cautela para que nossos planos não se transformem em fontes de tensão.

    Alterando-se as formas verbais da frase acima, a correlação entre as novas formas, considerando a norma culta, está correta em:
  • 8 - Questão 55085.   Português - Flexão Verbal - Nível Médio
  • Pesquisas que ...... a identificar sítios geoturísticos poderão favorecer o turismo em bases sustentáveis. O geoturismo, assim, ...... assumir um grau de importância estratégica para o futuro do desenvolvimento turístico do Brasil, desde que não ...... danos aos sítios geológicos, como a remoção ilegal de fósseis e minerais.

    Preenchem corretamente as lacunas da frase acima, na ordem dada:
  • 9 - Questão 55086.   Português - Flexão Verbal - Nível Médio
  • Assinale a opção em que a conjugação do verbo adequar está INCORRETA:
  • 10 - Questão 55087.   Português - Flexão Verbal - Nível Médio
  • Filmes em celuloide, discos de vinil – que época de ouro, que saudade! Tudo bem sujo, bem riscado, fazendo um barulho infernal.
    Quanto menos desse para enxergar, quanto pior o som, mais gostoso. Mundo bom era o mundo pré-digital. De tecnologias “quentes”, sem a frieza dos zeros e uns, do código binário que hoje controla nossas vidas.
    Esquecendo um pouco as artes, havia também a vida antes dos antibióticos, essas substâncias agressivas que causam tanto dano.
    Aquela sim era uma era maravilhosa. Morria-se de doenças incuráveis, e, graças a isso, a evolução cumpria seu curso natural. E as vacinas, então? Só vieram para prejudicar – dizem até que provocam autismo.
    Ressonância magnética? Um método do mal. Perturba as propriedades físicas do núcleo atômico, e a natureza é algo sagrado, em que nunca se deve intervir.
    Cirurgias cada vez menos invasivas, conhecimentos de genética que se aprofundam... Que tempos terríveis esses em que vivemos.
    Sempre é bom avisar: os parágrafos acima __________ .
    Esse passadismo idealizado é conversa para hipster* dormir.

    (Álvaro Pereira Júnior, Folha de S.Paulo, 18.07.2015)

    *Hipster (ingl.): designação de pessoa ou grupo de pessoas que adota estilo próprio, inventando modas e tendências alternativas. 

    Assinale a alternativa em que, reescrita, a frase – ... a natureza é algo sagrado, em que nunca se deve intervir. – tem os verbos corretamente conjugados.

Comentários sobre "Simulado Exercícios sobre Flexão Verbal de Pessoa (1ª, 2ª, 3ª pessoa) com Gabarito"

    marisa delgado
    Por sdb2831 em 13/08/2019 às 20:22:07

    Parabéns! Muito bom esse simulado,gostei!!!!

Comentar Simulado

Para comentar este simulado é preciso Cadastrar-se. É simples, rápido e grátis!