Simulado Exercícios de Variação Linguística com Gabarito - Português

Simulado com 10 questões de Português (Variação Linguística) Ensino Médio. Teste seus Conhecimentos em Provas Online com Gabarito.

  • 23 Resolveram
  • 39% Acertos
  • 1 Gabaritaram
  • barra ótimo 3 Ótimo
  • barra qtd_bom 6 Bom
  • barra ruim10 Ruim
  • barra péssimo4 Péssimo

Para corrigir este simulado é preciso Entrar ou Cadastrar-se. É simples e rápido!

  • 1 - Questão 55618.   Português - Variação Linguística - Nível Médio
  • Analise as afirmações abaixo, relativas a variação linguística.

    1 – Uma característica de todas as línguas do mundo é que elas não são unas, não são uniformes, apresentando variedades.
    2 – As línguas mostram formas variadas, entre outras razões, porque a sociedade é dividida em grupos sociais.
    3 – Na escrita, há sempre interlocução, enquanto a fala ocorre fora dela.
    4 – As variedades linguísticas sofrem um julgamento social.
    5 – Variantes diafásicas são as que mostram diferenças de uma região para outra.

    Assinale a opção que indica as afirmativas corretas. 
  • 2 - Questão 55619.   Português - Variação Linguística - Nível Médio
  • Sobre a variação linguística, é correto afirmar-se que: 
  • 3 - Questão 55620.   Português - Variação Linguística - Nível Médio
  • Em situações de formalidade, é conveniente evitar o uso de linguagem informal; a frase abaixo que se mostra inteiramente formal é:
  • 4 - Questão 55621.   Português - Variação Linguística - Nível Médio
  • "É sempre necessário que as circunstâncias em que as palavras forem proferidas sejam de algum modo, apropriadas" (Austin 1990, p. 26, Quando Dizer é Fazer: palavra e ação).

    A linguagem é entendida, na perspectiva da Pragmática, como uma atividade intersubjetiva e intencional. Desse modo, as práticas discursivas são as linguagens em ação em que os indivíduos produzem sentidos e se posicionam em suas relações sociais do dia a dia. A linguagem que se processa entre falantes e interlocutores é sempre uma linguagem social, que produz ações e consequências. Estas ideias acerca da linguagem e das práticas discursivas têm como base a teoria dos atos de fala desenvolvida por Austin (1976), em que é possível fazer através do dizer.

    É incorreto afirmar sobre a polidez na comunicação:
  • 5 - Questão 55622.   Português - Variação Linguística - Nível Médio
  • Leia um trecho de um poema de Patativa do Assaré

    Eu e o sertão
    Sertão, argúem te cantô,
    Eu sempre tenho cantado
    E ainda cantando tô,
    Pruquê, meu torrão amado,
    Munto te prezo, te quero
    E vejo qui os teus mistéro
    Ninguém sabe decifrá.
    A tua beleza é tanta,
    Qui o poeta canta, canta,
    E inda fica o qui cantá.

    (EU E O SERTÃO - Cante lá que eu canto Cá - Filosofia de um trovador nordestino - Ed.Vozes, Petrópolis, 1982)

    Sobre o fragmento do texto “Eu e o sertão”, coloque V para as proposições verdadeiras, e F para as Falsas.

    ( ) A linguagem utilizada no poema é repleta de informalidade, regionalismos, sem seguir a norma padrão, termos aglutinados, com redução fonética, resultado da tentativa de expressar com fidelidade o modo particular de falar do povo, expressão verbal de sua cultura e variação linguística.
    ( ) Este modelo de registro linguístico mostra a inferioridade e nível baixo de escolaridade de um grupo social.
    ( ) O texto é um poema com características ditas populares.
    ( ) O registro dos vocábulos presentes nos versos apontam para a variedade linguística de grupos que habitam determinada região brasileira.
    ( ) No texto, predomina a valorização da linguagem coloquial, ou seja, aquela usada de modo informal, desrespeitando o padrão culto da língua, este considerado como o único aceitável dentro do recurso estilístico utilizado na linguagem poética.

    O preenchimento CORRETO dos parênteses está na alternativa
  • 6 - Questão 55623.   Português - Variação Linguística - Nível Médio
  • Leia um trecho de um poema de Patativa do Assaré

    Eu e o sertão
    Sertão, argúem te cantô,
    Eu sempre tenho cantado
    E ainda cantando tô,
    Pruquê, meu torrão amado,
    Munto te prezo, te quero
    E vejo qui os teus mistéro
    Ninguém sabe decifrá.
    Atua beleza é tanta,
    Qui o poeta canta, canta,
    E inda fica o qui cantá.

    EU E O SERTÃO - Cante lá que eu canto Cá - Filosofia de um trovador nordestino - Ed.Vozes, Petrópolis, 1982)

    Sobre o fragmento do texto “Eu e o sertão”, coloque V para as proposições verdadeiras, e F para as Falsas.

    ( ) A linguagem utilizada no poema é repleta de informalidade, regionalismos, sem seguir a norma padrão, termos aglutinados, com redução fonética, resultado da tentativa de expressar com fidelidade o modo particular de falar do povo, expressão verbal de sua cultura e variação linguística.
    ( ) Este modelo de registro linguístico mostra a inferioridade e nível baixo de escolaridade de um grupo social.
    ( ) O texto é um poema com características ditas populares.
    ( ) O registro dos vocábulos presentes nos versos apontam para a variedade linguística de grupos que habitam determinada região brasileira.
    ( ) No texto, predomina a valorização da linguagem coloquial, ou seja, aquela usada de modo informal, desrespeitando o padrão culto da língua, este considerado como o único aceitável dentro do recurso estilístico utilizado na linguagem poética.

    O preenchimento CORRETO dos parênteses está na alternativa
  • 7 - Questão 55624.   Português - Variação Linguística - Nível Médio
  • Leia um trecho de um poema de Patativa do Assaré

    Eu e o sertão
    Sertão, argúem te cantô,
    Eu sempre tenho cantado
    E ainda cantando tô,
    Pruquê, meu torrão amado,
    Munto te prezo, te quero
    E vejo qui os teus mistéro
    Ninguém sabe decifrá.
    Atua beleza é tanta,
    Qui o poeta canta, canta,
    E inda fica o qui cantá.

    (EU E O SERTÃO - Cante lá que eu canto Cá - Filosofia de um trovador nordestino - Ed.Vozes, Petrópolis, 1982)

    Sobre o fragmento do texto “Eu e o sertão”, coloque V para as proposições verdadeiras, e F para as Falsas.

    ( ) A linguagem utilizada no poema é repleta de informalidade, regionalismos, sem seguir a norma padrão, termos aglutinados, com redução fonética, resultado da tentativa de expressar com fidelidade o modo particular de falar do povo, expressão verbal de sua cultura e variação linguística.
    ( ) Este modelo de registro linguístico mostra a inferioridade e nível baixo de escolaridade de um grupo social.
    ( ) O texto é um poema com características ditas populares.
    ( ) O registro dos vocábulos presentes nos versos apontam para a variedade linguística de grupos que habitam determinada região brasileira.
    ( ) No texto, predomina a valorização da linguagem coloquial, ou seja, aquela usada de modo informal, desrespeitando o padrão culto da língua, este considerado como o único aceitável dentro do recurso estilístico utilizado na linguagem poética.

    O preenchimento CORRETO dos parênteses está na alternativa
  • 8 - Questão 55625.   Português - Variação Linguística - Nível Médio
  • “O sucesso da educação linguística é transformar o falante em um "poliglota" dentro de sua própria língua nacional" (BECHARA, 2001, p. 38).
    BECHARA, Evanildo. Moderna Gramática Portuguesa. 37. ed. Rio de Janeiro: Lucerna, 2001.

    Com base na afirmação de Evanildo Bechara e em seus conhecimentos sobre norma padrão e variantes linguísticas, assinale a alternativa CORRETA: 
  • 9 - Questão 55626.   Português - Variação Linguística - Nível Médio
  • Leia a crônica “Sketches”, de Luís Fernando Veríssimo.

    Dois homens tramando um assalto.

    - Valeu, mermão? Tu traz o berro que nóis vamo rendê o caixa bonitinho. Engrossou, enche o cara de chumbo.
    Pra arejá.
    - Podes crê. Servicinho manero. É só entrá e pegá.
    - Tá com o berro aí?
    - Tá na mão.
    Aparece um guarda.
    - Ih, sujou. Disfarça, disfarça...
    O guarda passa por eles.
    - Discordo terminantemente. O imperativo categórico de Hegel chega a Marx diluído pela fenomenologia de Feurbach.
    - Pelo amor de Deus! Isso é o mesmo que dizer que Kierkegaard não passa de um Kant com algumas sílabas a mais. Ou que os iluministas do século 18...
    O guarda se afasta.
    - O berro, tá recheado?
    - Tá.
    - Então, vamlá!

    Disponível em: https://brainly.com.br/tarefa/1731104. Acesso em: 08.11.18

    Com relação à noção de variações linguísticas, considere as afirmações abaixo a partir do fato narrado na crônica:

    I. Os dois assaltantes usam a gíria típica de malandros e mudam o nível de linguagem para disfarçar quando o guarda se aproxima.
    II. Quando o guarda se aproxima, os dois malandros passam a falar sobre filosofia numa linguagem culta para impressiona-lo, dando a impressão de serem intelectuais.
    III. A crônica mostra que há um preconceito com relação ao nível de linguagem que usamos, e, por isso, ela é um fenômeno de exclusão social.
    IV. Por ser um estilo coloquial, a gíria só é usada por pessoas de baixa escolaridade, como, por exemplo, assaltantes.
    V. A crônica mostra que devemos ter uma consciência linguística para as diferentes situações de uso da linguagem.

    Está CORRETO o que se afirma em: 
  • 10 - Questão 55627.   Português - Variação Linguística - Nível Médio
  • A afirmativa destoante do que se constitui como texto falado ou escrito em qualquer língua natural é: