Gestão Escolar - Pedagogia - Exercícios com Gabarito

Responda as 10 questões abaixo (Gestão Escolar - Pedagogia - Exercícios com Gabarito). Ao terminar, clique no botão para ver sua nota e o gabarito. Boa prova!

10 questões Pedagogia, Gestão Escolar, Médio

181 resolveram
45% média
Difícil
3 gabaritaram
23 Ótimo
64 Bom
75 Regular
19 Péssimo
Brito, Castro e Varela (2015), ao teorizarem sobre o Planejamento Estratégico como ferramenta para a gestão escolar, afirmam que, em tempo de desafios no cenário mundial para as organizações, as mudanças acontecem em meio à sociedade da informação, do conhecimento e da aplicação tecnológica. Trata-se de um ambiente de contínuas transformações nas relações sociais e econômicas. Essa compreensão elevou a importância da dimensão “estratégia”, evidenciada no meio das organizações pelo Planejamento Estratégico. Sobre a ideia de Planejamento Estratégico, numa perspectiva participativa, é correto afirmar:
Lück (2006) destaca os princípios, atitudes e estratégias como também o monitoramento e a avaliação que envolve a prática e a construção da autonomia de gestão escolar.

Com base nas reflexões da autora, analise as seguintes afirmativas sobre essa prática e construção, assinalando com V as verdadeiras e com F as falsas.

( ) Uma das atitudes que favorecem as práticas autônomas corresponde à delimitação e transferência de responsabilidade no trabalho e na educação.
( ) Entre os seus principais princípios orientadores estão a criatividade, o comprometimento e a visão proativa.
( ) Por ocorrer de modo espontâneo e a partir da própria escola, o desenvolvimento da autonomia é um processo transitório que envolve o coletivo da escola e requer uma mudança de atitude e prática de novas compreensões, transformando a cultura escolar.
( ) Para que a ação autônoma seja organizada, incentivada, orientada, monitorada e avaliada em seus processos e resultados, faz-se necessários a criação e o funcionamento de mecanismos de gestão colegiada.

Assinale a sequência correta.
O profissional que é o grande responsável para que a inclusão ocorra na escola, abrindo espaços e promovendo trocas de experiências importantes, desenvolvendo uma gestão democrática e participativa dentro, é claro, de suas possibilidades e de acordo com o contexto em que atua na comunidade, favorecendo a formação e a consolidação de equipes de trabalho é o
Analisando as relações entre gestão escolar e a educação inclusiva, relacione as colunas abaixo.

1. Declaração Universal dos Direitos Humanos
2. Declaração Mundial sobre Educação para Todos
3. Declaração de Salamanca
4. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional

( ) Estabelece que a educação especial deve ser oferecida no ensino regular para os alunos com necessidades educacionais especiais, sendo necessária a reorganização social para atendimento das pessoas com igualdade, quanto às mais complexas e diversas diferenças, físicas ou cognitivas.
( ) A proposta de universalização do ensino com qualidade e redução da desigualdade, tornam-se fatores seminais à educação: o combate da discriminação, o comprometimento com os excluídos, a satisfação das necessidades básicas de aprendizagem das pessoas com deficiência e a garantia do acesso ao sistema educativo regular.
( ) A educação é um direito de todos; deve ser gratuita; o ensino fundamental (elementar) obrigatório; o ensino técnico e profissional generalizado e o ensino superior aberto a todos em plena igualdade.
( ) Reafirma o compromisso com a educação para todos e reconhece a necessidade de alterações nos sistemas de ensino e nas escolas para que a educação inclusiva se efetive.

A sequência correta obtida, no sentido de cima para baixo, é
A herança do trabalho fragmentado, já naturalizada em nossas escolas, compõe-se com uma falsa noção de autonomia, manifesta no cotidiano por frases como "fecho a porta de minha sala de aula e faço o que eu achar melhor". A possibilidade de se realizar o trabalho isolada e independentemente, sem nenhuma vinculação com outros sujeitos, não expressa, de modo algum, o que entendemos por autonomia. Expressa, isto sim, a solidão no local de trabalho e a angústia diante de relações marcadas pela subalternidade.

GARCIA, Teise de Oliveira Guaranha; CORREA, Bianca Cristina. Desafios à democratização da gestão escolar e a atuação dos professores na escola pública. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 3, n. 4, p. 225­ 237, jan./jun. 2009.

No excerto apresentado, as autoras destacam características do trabalho docente, apontando para alguns elementos necessários para a implementação de uma gestão democrática, prevista na legislação como um dos princípios da educação nacional. Baseados na legislação nacional e nos textos produzidos sobre a Gestão Democrática da Educação por pesquisadores da área, afirma-se que
Garcia e Abreu (Ostetto, 2018) afirmam que: “(...) são fontes de diálogos com as diferentes pessoas que circulam (...). É um veículo de comunicação, sobretudo com as famílias”. Nesse trecho, as autoras se referem ao:
Segundo Libâneo, Oliveira e Toschi (2010, p. 411), “a organização e a gestão constituem o conjunto das condições e dos meios utilizados para assegurar o bom funcionamento da instituição escolar (...)”. A organização e a gestão escolar, assim, são meios para garantir as finalidades da escola.

Tendo isso em vista, assinale a alternativa que apresenta corretamente o que os autores consideram uma boa gestão escolar.
Segundo Isaneide Domingues (2014, p. 145), “a coordenação pedagógica de uma escola pública precisa estar atenta”, EXCETO:
As concepções de gestão escolar refletem diferentes posições políticas e concepções do papel da escola e da formação humana na sociedade. A organização escolar a partir de uma concepção democrática possibilita:
Leia o trecho que segue e marque a opção CORRETA. 

“A gestão exige cuidados e mobiliza afetos. O desafio é continuar a tomar providência em relação aos pequenos problemas e não descuidar do clima geral, do sentimento de confiança e da responsabilidade de posição de liderança na instituição ou nas políticas, seja na supervisão, na direção ou na coordenação, seja na atuação direta com as crianças. É preciso observar a si mesmo, observar o grupo de trabalho de formação, pensando na diversidade que marca todos os grupos humanos, mas pensando também em quanto eles têm em comum. A reflexão coletiva, a rememoração e a reconciliação são componentes necessários nesse trabalho que, por ser humano envolve tantos matizes do saber e do sentir.” (KRAMER, NUNES, 2007, p. 452)