Paradigmas Educacionais: Pensamento Moderno e Contemporâneo - Exercícios

Responda as 10 questões abaixo (Paradigmas Educacionais: Pensamento Moderno e Contemporâneo - Exercícios). Ao terminar, clique no botão para ver sua nota e o gabarito. Boa prova!

10 questões Pedagogia, Paradigmas Educacionais, Médio

29 resolveram
30% média
Difícil
0 gabaritaram
0 Ótimo
6 Bom
19 Regular
4 Péssimo
A educação é um fenômeno e uma prática complexos, porque é práxis humana histórica. De acordo com essa concepção, a educação é:
A Escola Nova, de acordo com Gadotti (2003), representou um dos movimentos mais vigorosos de renovação da educação depois da criação da escola pública burguesa. O educador norte-americano John Dewey, integrante do movimento escolanovista, propôs que o ensino deveria, prioritariamente, dar-se pela
Compreender as políticas educacionais e a implementação destas numa determinada rede de ensino implica compreender as relações complexas que envolvem essa questão. De acordo com Nóvoa (2009), a escola moderna se desenvolveu pelo “transbordamento” de missão e conteúdos, com forte apelo à cidadania e pela responsabilização das redes de ensino, provocando, dessa forma,
As últimas décadas foram marcadas por uma série de mutações que continuam a receber as diversas e variadas denominações e conceituações, no campo econômico, político e social. Denominações que mesclam processos sociais velhos e novos, como globalização ou mundialização, reestruturação produtiva, neoliberalismo, novas tecnologias e padrões de qualificação, aumentam a dualidade social. Em relação ao campo educacional,
A criança brasileira tem conquistado lugar no discurso político-científico contemporâneo e se tornado alvo de atenção das políticas públicas. Especialmente o documento composto por Campos e Rosemberg (2009) – atualmente em sua segunda versão – valida o sentido da criança com sujeitos de direitos. Particularmente, o documento expressa que as crianças brasileiras têm:
Para Maria Teresa Esteban (2002), o paradigma indiciário é uma perspectiva teórica que parece ser adequada por ajudar a encontrar o que se oculta no cotidiano das práticas, além de colaborar no reconhecimento dos traços singulares dos seres humanos. Demarca a importância do diálogo na relação que se faz necessária entre o território teórico e o território prático, pois rompe com modelos de investigação que isolam e distinguem esses territórios. O paradigma indiciário é, portanto, uma opção teórico-epistemológica que une teoria e prática em uma interação dialética e dialógica, porque procura observar sinais, indícios, que permitem decifrar a realidade, como a escolar. Assinale a alternativa que apresenta o teórico utilizado pela autora Esteban para fundamentar suas considerações sobre o paradigma indiciário.
Morin (2009), tem apontado para a existência de um novo paradigma educacional, em que a aprendizagem contextualizada e globalizante passa a ser determinante na compreensão do conhecimento, na sua interrelação com outros conhecimentos. Morin supõe, também, a conexão de um conjunto de conhecimentos com a análise e interpretação da realidade, visando a orientar os discursos e as teorias de forma que permita a conjugação da autonomia e o desenvolvimento da noção de direito e da liberdade. Além disso, compreende a produção de conhecimento sustentada no fruto das relações entre universidade e sociedade, buscando dar sentido à vida.

Esse novo paradigma foi chamado por Morin de: 
“Na cabeça de quase todo mundo a sala de aula admite espacialmente uma única oposição: a mesa do professor versus o lugar coletivo dos alunos.” (BRANDÃO, 1994, pág. 105)

A sala de aula a que se refere Brandão no trecho acima transcrito corresponde à organização espacial de uma escola tradicional na qual o professor é o sujeito: 
O processo de globalização na sociedade contemporânea impacta a construção do conhecimento e influencia instituições e espaços sociais. Acerca desse assunto, assinale a opção correta.
A educação inclusiva constitui um paradigma educacional fundamentado na concepção de direitos humanos, que avança em relação à ideia de equidade formal ao contextualizar a produção da exclusão dentro e fora da escola e que tem como valores inseparáveis:

Veja também...