Auxiliar de Educação Infantil - Prefeitura de Nilópolis RJ - Educação Infantil

Responda as 11 questões abaixo (Auxiliar de Educação Infantil - Prefeitura de Nilópolis RJ - Educação Infantil). Ao terminar, clique no botão para ver sua nota e o gabarito. Boa prova!

11 questões Conhecimentos Específicos , Educação Infantil, Auxiliar de Educação Infantil, Prefeitura de Nilópolis RJ, FUNCEFET, Médio

150 resolveram
74% média
Fácil
12 gabaritaram
80 Ótimo
49 Bom
13 Regular
8 Péssimo
O recreio escolar é o momento mais aguardado pela maioria dos alunos e significa brincar. Nesse momento, as crianças costumam extravasar toda a sua energia. Veja um exemplo: numa escola, a equipe de direção e coordenação apontou a necessidade de reduzir o tempo de recreio das crianças de 20 para 10 minutos, pois elas brigavam muito, ofendiam umas às outras (situações de bullying) e quebravam alguns materiais. Após o recreio, o chão do pátio ficava cheio de papéis de balas e de restos de lanches. Com base nessas informações, pode-se compreender que
Partilhar o ambiente criado pela educadora, apoiando-a na execução das atividades; contribuir para o bem-estar e o desenvolvimento harmonioso da criança; estar atenta à segurança das crianças durante o período escolar, dando especial atenção nos períodos de higiene, refeições e recreio. Essas são atribuições da
A conquista da independência e autonomia pelas crianças são processos que demandam tempo e ocorrem nos atos cotidianos e em atividades sistematizadas. O exercício da cidadania é um processo que se inicia desde a infância, quando se oferecem às crianças oportunidades de escolha e de autogoverno.

Referencial curricular nacional para a educação infantil, MEC/SEF, 1998.
Com base nesse texto, compete à auxiliarde educação infantil
Um dito popular é tratado no refrão da letra da música do Zeca Pagodinho.

Brincadeira tem hora
Brincadeira tem hora
Brincadeira tem hora
Brincadeira tem hora

Com base no Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil, em relação ao brincar e à aprendizagem, pode-se afirmar que a brincadeira
Com base na Resolução CNE N0 05, de 17 de dezembro de 2009, as práticas pedagógicas da Educação Infantil devem garantir experiências que
Mordidas costumam causar revoluções na creche. Ninguém gosta que seu filho seja mordido. Os pais da “vítima", às vezes, sentem-se culpados por deixarem seu filho correr riscos num ambiente com tantas crianças. Já os pais do mordedor, quase sempre, ficam envergonhados com o fato. Tanto a família do mordedor quanto a do mordido se sentem preocupadas ou agredidas.

MELLO e VITORIA. In: ROSSETTI-FERREIRA, M. etal. Os afazeres na educação infantil, 2009.

Com relação às mordidas e às agressões que ocorrem durante o convívio das crianças entre um e três anos, pode-se afirmar que essas ocorrências diminuem, sensivelmente, quando as crianças desenvolvem a
É através do jogo simbólico (faz-de-conta) que a criança
A organização dos momentos de oferta de alimentos precisa ser feita em ambientes mais tranqüilos, em pequenos grupos, com acompanhamento mais próximo pelo adulto, que propicia segurança afetiva e ajuda a construir gradativamente as habilidades para independência ao alimentar-se.

Referencial curricular nacional para a educação infantil, MEC/SEF, 1998.

Em relação à alimentação da criança na creche, como postura correta, deve-se
Os bebês e crianças pequenas que ainda usam fraldas e que permanecem durante muitas horas na instituição educativa podem precisar de um banho, tanto para maior conforto como para prevenção de assaduras e brotoejas.

Referencial curricular nacional para a educação infantil, MEC/SEF, 1998.

Em relação ao banho na educação infantil, deve-se
O controle dos esfíncteres geralmente ocorre por volta da seguinte idade:
Brincar funciona como um cenário no qual as crianças tornam-se capazes não só de imitara vida como também de transformá-la. (...) Ao brincar de faz-de-conta, as crianças buscam imitar, imaginar, representar e comunicar de uma forma específica que uma coisa pode ser outra, que uma pessoa pode ser uma personagem, que uma criança pode ser um objeto ou um animal, que um lugar “faz-de-conta" que é outro.

Referencial curricular nacional para a educação infantil, MEC/SEF, 1998.

A partir dessa visão, pode-se afirmar que