Exercícios Obesidade e Síndrome Metabólica com Gabarito - Medicina

Responda as 10 questões do simulado abaixo (Exercícios Obesidade e Síndrome Metabólica com Gabarito - Medicina). Ao terminar a prova, clique em corrigir para ver o gabarito.

10 questões Medicina, Obesidade e Síndrome Metabólica, Ensino Superior

68 resolveram
31% acertos
Difícil
0 gabaritaram
1 ótimo
12 bom
45 regular
10 péssimo

1Questão 59969. Medicina, Obesidade e Síndrome Metabólica, Ensino Superior

A obesidade acarreta um risco aumentado de inúmeras doenças crônicas como diabetes melito, dislipidemias, doenças cárdio e cerebrovasculares, entre outras. A Organização Mundial da Saúde – OMS classifica a obesidade segundo o Índice de Massa Corpórea – IMC e o risco de doença, sendo que, para um IMC entre 35,0 e 39,9 e grau de obesidade II, o risco de doença é

2Questão 59970. Medicina, Obesidade e Síndrome Metabólica, Ensino Superior

São recomendações dietéticas para o tratamento de hipercolesterolemia.

                Nutriente           Ingestão Recomendada

                 I                         25 a 35 % das calorias totais
                 II                        50 a 60 % das calorias totais
                 III                       15% das calorias totais

Proteínas, gordura total e carboidratos, correspondem, respectivamente, a

3Questão 59971. Medicina, Obesidade e Síndrome Metabólica, Ensino Superior

Paciente feminino, 40 anos, foi à consulta de rotina em posto de saúde. Portadora de DM2, HAS e dislipidemia, além de apneia do sono. Aos exames: IMC 42kg/m2, PA = 150 x 90 mm/Hg e glicemia de jejum = 130 mg/dL. Em uso de metformina, insulina, ramipril, hidroclorotiazida e atorvastatina. O médico diagnosticou síndrome metabólica. Com base no conhecimento atual sobre síndrome metabólica, o tratamento de qual das condições de base a seguir constitui abordagem primária do tratamento deste distúrbio?

4Questão 59972. Medicina, Obesidade e Síndrome Metabólica, Ensino Superior

Referente à obesidade, é correto afirmar que

5Questão 59973. Medicina, Obesidade e Síndrome Metabólica, Ensino Superior

O rastreamento do diabetes mellitus em pacientes adultos assintomáticos está indicado para todos os indivíduos, particularmente os com sobrepreso ou obesos a partir da idade de:

6Questão 59974. Medicina, Obesidade e Síndrome Metabólica, Ensino Superior

O rastreamento do diabetes mellitus em crianças assintomáticas com sobrepeso ou peso corporal > 120% do ideal para a altura está indicado, a partir dos 10 anos ou início da puberdade, caso ocorra pelo menos de uma série de fatores de risco, entre os quais não se inclui:

7Questão 59975. Medicina, Obesidade e Síndrome Metabólica, Ensino Superior

A obesidade é hoje um problema de saúde pública e está relacionada ao aparecimento de diversas patologias, como Hipertensão Arterial, Diabetes, problemas articulares e problemas cardíacos. Atualmente o diagnóstico de obesidade é dado pelo Índice de Massa Corporal (IMC) igual ou superior a:

8Questão 59976. Medicina, Obesidade e Síndrome Metabólica, Ensino Superior

Na definição de síndrome metabólica do National Cholesterol Educational Program − NCEP Adult Treatment Panel III (ATP III) são levados em consideração parâmetros como

9Questão 59977. Medicina, Obesidade e Síndrome Metabólica, Ensino Superior

Leia as afirmativas abaixo:

I. Tanto o sobrepeso como obesidade têm sido identificados como fatores de risco para disfunções sexuais em homens.
II. A obesidade também é associada a níveis baixos de testosterona total e em menor proporção a níveis baixos de testosterona livre.
III. A relação entre sobrepeso e obesidade nas disfunções sexuais na mulher ainda está obscura, em parte ao uso na literatura de instrumentos diferentes de avaliação, mas principalmente devido à complexidade da sexualidade feminina.

Estão corretas as afirmativas:

10Questão 59978. Medicina, Obesidade e Síndrome Metabólica, Ensino Superior

Paciente, 42 anos, obeso grau I e sedentário, nega doenças prévias, não faz uso regular de medicação.

Tal paciente deu início no teste ergométrico, apresentando aumentos da pressão sistólica e diastólica no segundo estágio do protocolo de Bruce, bem como manteve-se com a pressão arterial sistólica aumentada no terceiro minuto da fase de recuperação. Sobre esse indivíduo, podemos afirma que: