Simulado: Arquivista - Teoria e Abordagem Arquivística - UFF

10 questões Arquivologia, Teoria e Abordagem Arquivística, Arquivista, UFF, COSEAC, Ensino Superior

Responda as 10 questões do simulado abaixo (Arquivista - Teoria e Abordagem Arquivística - UFF). Ao terminar a prova, clique em corrigir para ver o gabarito.

3 resolveram
40% acertos
Difícil
0 gabaritaram
0 ótimo
1 bom
2 regular
0 péssimo
Dados estatísticos de usuários que resolveram este simulado.

1Questão 62061. Arquivologia, Teoria e Abordagem Arquivística, Arquivista, UFF, COSEAC, Ensino Superior, 2019

O conceito de preservação no universo digital, segundo CONWAY (2001), tem assumido três significados: possibilitar o uso de documentos, proteger o item original copiado e manter os objetos digitais. Para o autor, este último significado é resultado da escolha da forma de armazenamento, da expectativa de vida dos sistemas de formação de imagens digitais e também da preocupação em garantir o acesso ao documento – que se traduz pelo planejamento e ação relacionados:

2Questão 62062. Arquivologia, Teoria e Abordagem Arquivística, Arquivista, UFF, COSEAC, Ensino Superior, 2019

Apesar de algumas releituras da questão na literatura especializada, para FONSECA (2005) o princípio da proveniência ainda figura, na disciplina arquivística, como:

3Questão 62063. Arquivologia, Teoria e Abordagem Arquivística, Arquivista, UFF, COSEAC, Ensino Superior, 2019

A operação básica para os arquivos correntes, segundo SCHELLENBERG (2006), é a:

4Questão 62064. Arquivologia, Teoria e Abordagem Arquivística, Arquivista, UFF, COSEAC, Ensino Superior, 2019

Além de suporte, gênero, tipo, forma, formato e contexto de produção, o sétimo elemento característico de qualquer documento, conforme GONÇALVES (1998), é sua:

5Questão 62065. Arquivologia, Teoria e Abordagem Arquivística, Arquivista, UFF, COSEAC, Ensino Superior, 2019

Para GONÇALVES (1998), além de simplicidade e flexibilidade, um plano de classificação de boa qualidade precisa ter também:

6Questão 62066. Arquivologia, Teoria e Abordagem Arquivística, Arquivista, UFF, COSEAC, Ensino Superior, 2019

As listas e tabelas de descarte e os planos de destinação são considerados por SCHELLENBERG (2006):

7Questão 62067. Arquivologia, Teoria e Abordagem Arquivística, Arquivista, UFF, COSEAC, Ensino Superior, 2019

SCHELLENBERG (2006) adverte que se cada documento de um arquivo for tirado arbitrariamente do seu contexto e reorganizado por um sistema classificado ou outro qualquer, poderá perder sua integridade como documento da organização e função, perdendo, assim, seu valor

8Questão 62068. Arquivologia, Teoria e Abordagem Arquivística, Arquivista, UFF, COSEAC, Ensino Superior, 2019

Conforme GONÇALVES (1998), na fase corrente, o plano de classificação de documentos de arquivo deve abranger todos os tipos documentais produzidos/acumulados pela entidade, pois todos eles devem ser objeto de organização, estando, portanto, sujeitos à classificação e à ordenação. Sendo assim, o plano de classificação será também extremamente útil à elaboração dos planos de destinação e das tabelas de temporalidade, essenciais no processo de:

9Questão 62069. Arquivologia, Teoria e Abordagem Arquivística, Arquivista, UFF, COSEAC, Ensino Superior, 2019

Segundo GONÇALVES (1998), para que a organização dos documentos arquivísticos possa resultar eficiente, tanto a classificação quanto a ordenação devem estar:

10Questão 62070. Arquivologia, Teoria e Abordagem Arquivística, Arquivista, UFF, COSEAC, Ensino Superior, 2019

Na chamada classificação funcional, SCHELLENBERG (2006) aconselha, sempre que possível, para os documentos públicos que se relacionam com importantes diretrizes, opiniões e decisões políticas, que se criem: